CONHEÇA NOSSO CURSO Graduação

Engenharia de Computação

Presencial

A graduação em Engenharia de Computação, busca a formação de profissionais para atuar em processos de automação integrando aspectos relacionados ao desenvolvimento e gerência de projetos de hardware e software. Trabalha nos problemas que envolvem interface computacional, telecomunicação, arquitetura de redes de computadores e dados digitais, incluindo a definição adequada dos softwares a serem utilizados.

Área de Atuação

Os engenheiros de computação poderão trabalhar em diversos setores do mercado de trabalho, ocupando diferentes cargos, tais como: engenheiro ou projetista de hardware, engenheiro de software, engenheiro de redes de computadores e engenheiro ou administrador de sistemas computacionais.

Coordenação

Profª. Ms. Elaine Cristina Valim Trova

A coordenadora Profª. Ms. Elaine Valim Trova, possui Mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba (2004), Especialização em Análise de Sistemas pela PUC Campinas e Bacharelado em Administração pela Universidade de Franca (2010). Além disso, é graduada em Tecnologia da Informação pelo Centro Universitário de Espírito Santo do Pinhal (1998). Atualmente, trabalha em tempo integral na Faculdade Santa Lúcia como Professora e Coordenadora de curso. Possui experiência na área de gestão de projetos, tecnologia da informação, gestão de produção e gestão de processos empresariais.

Desenvolver as competências teóricas, aliadas à visão sistêmica, formando assim, profissionais comprometidos com os aspectos tecnológicos da profissão, aptos a desempenharem suas funções com ética, responsabilidade social e compromisso profissional.

São seus objetivos específicos:
I) a abordagem das áreas científicas de matemática, física e química, com vistas a prover os fundamentos da formação tecnológica em Engenharia de Computação;
II) uma visão geral da Engenharia de Computação, que permite ao profissional contextualizar os problemas abordados e situar suas ações, bem como, situar sua formação específica dentre as diferentes áreas desta engenharia;
III) a formação de habilidades específicas do Engenheiro de Computação;
IV) a incorporação de tecnologias da informação e da comunicação, com especial atenção para sua utilização nos processos tecnológicos e de automação; e
V) a formação social e ética do Engenheiro de Computação, a fim de que seja capaz de aliar ciência e tecnologia, propondo meios de intervir na realidade de modo a garantir o desenvolvimento humano.

Considerando as Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação em Computação CNE/CES nº 136/2012 espera-se que os egressos dos cursos de Engenharia de Computação:

  1. Possuam sólida formação em Ciência da Computação, Matemática e Eletrônica visando à análise e ao projeto de sistemas de computação, incluindo sistemas voltados à automação e controle de processos industriais e comerciais, sistemas e equipamentos de telecomunicações e equipamentos de instrumentação eletrônica;
  2. Conheçam os direitos e propriedades intelectuais inerentes à produção e à utilização de sistema de computação;
  3. Sejam capazes de agir de forma reflexiva na construção de sistemas de computação, compreendendo o seu impacto direto ou indireto sobre as pessoas e a sociedade;
  4. Entendam o contexto social no qual a Engenharia é praticada, bem como, os efeitos dos projetos de Engenharia na sociedade;
  5. Considerem os aspectos econômicos, financeiros, de gestão e de qualidade, associados aos novos produtos e organizações;
  6. 6. Considerem fundamentais a inovação e a criatividade e compreendam as perspectivas de negócios e oportunidades relevantes.

A Faculdade Santa Lúcia projeta, em todos os seus cursos, atividades em harmonia com as suas bases filosóficas e princípios metodológicos, garantindo, desta forma, uma coerência epistemológica com a Missão e os Objetivos Institucionais, assim como com as propostas pedagógicas dos seus cursos.

Avaliar não se resume à mecânica do conceito formal e estatístico; não é, simplesmente, atribuir notas, obrigatórias à decisão de avanço ou retenção em determinada disciplina. Os instrumentos de avaliação, imprescindíveis à verificação do aprendizado efetivamente realizado pelo aluno, devem fornecer subsídios ao trabalho docente, direcionando o esforço empreendido no processo de ensino e aprendizagem de forma a contemplar a melhor abordagem pedagógica e o mais pertinente método didático adequado à disciplina.

Neste contexto, a avaliação, sob o enfoque formativo e de forma contínua, mais do que simples atribuição de um conceito formal (nota), serve à percepção, tanto do professor quanto do aluno, dos progressos e carências de seus respectivos trabalhos, permitindo a aplicação de estratégias de aperfeiçoamento ou de redirecionamento do processo de ensino-aprendizagem. Uma boa avaliação alimenta os tomadores de decisões com as informações necessárias para escolhas abalizadas, e os professores com um feedback útil para o desenvolvimento de seus trabalhos.

Assim, o sistema de avaliações é norteado pelo Regimento da Faculdade Santa Lúcia, sendo considerado aprovado o discente que obter conceito mínimo de 5,0.

Infraestrutura