Professora da Santa Lúcia é destaque em reportagem do Correio Brasiliense

A professora de psicologia da Faculdade Santa Lúcia de Mogi Mirim, Luciane Orlando, foi destaque de uma reportagem do Correio Brasiliense (DF), um dos mais conceituados periódicos do país, sobre os desempregados chamados de “desalentados”, isto é, aqueles que já desistiram de procurar uma recolocação no mercado de trabalho.

No Brasil, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), são mais de 4,7 milhões de pessoas que se encontram nessa situação. Luciene, além da entrevista, também deu dicas para as pessoas se prepararem para voltar ao mercado de trabalho. Para a psicóloga, o importante é nunca perder a esperança.

Luciene, além de professora universitária, é consultora de carreiras da Thomas Case & Associados, um dos maiores especialistas do Brasil na gestão de carreiras, recolocação de executivos e RH (Recursos Humanos), possuindo seis escritórios nas principais regiões metropolitanas.

Ainda durante a entrevista, a professora da Santa Lúcia lembrou que, apesar da taxa de desemprego geral ter diminuído, aumentou o número de “desalentados”. Porém, Luciene reforça sua posição, ao dizer que é fundamental não desistir jamais.

Entre as dicas oferecidas pela psicóloga estão a de manter o currículo atualizado, assim como o perfil digital nas redes sociais (linkedIn, Facebook, Instagram, etc). É importante ainda não ficar isolado e não perder o contato com os amigos e antigos colegas de trabalho, além de focar em sua profissão e praticar exercícios físicos para manter o equilíbrio e bem-estar.

Luciene também aconselha às pessoas que buscam uma recolocação no mercado de trabalho para que, em hipótese alguma, falem mal do antigo emprego, por pior que ele tenha sido. Por último, recomenda ao desempregado estar sempre preparado para uma entrevista de emprego e quando isso ocorrer, usar uma roupa adequada e nada de inventar histórias para justificar o motivo de estar desempregado.

 

Fonte: Correio Brasiliense

Educação Infantil: Professor da Santa Lúcia será destaque em congresso da USP

O professor Alex Barreiro, mestre e doutor em educação pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e que ministra aulas nos cursos de administração, ciências contábeis e psicologia da Faculdade Santa Lúcia de Mogi Mirim, será um dos palestrantes do VIII Copedi (Congresso Paulista de Educação Infantil) e VII Congresso Internacional de Educação Infantil, a serem realizados de 16 a 18 deste mês na USP (Universidade de São Paulo).

Barreiro, fará parte da mesa “A intersecção entre gênero, sexualidade, raça e classe social na educação infantil”, que ocorre no dia 17, a partir das 16h30. O convite partiu da própria coordenadora-geral do evento, Cleonice Tomazelli, que também preside o Fórum Paulista de Educação Infantil.

Barreiro é muito respeitado no meio acadêmico e educacional pela experiência que acumulou no campo da educação. O professor da Santa Lúcia também é muito requisitado para ministrar palestras e participar de simpósios, já que é considerado dos maiores especialistas em educação do país.

Além da educação, Barreiro é pós-graduado em história pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo, mesma faculdade onde se graduou nesta disciplina, em 2009. Também é membro da  ACP (Associação Campinense de Psicanálise). 

Para a direção da Santa Lúcia, o fato de Barreiro estar presente no VIII Copedi e no congresso internacional de educação infantil, é prova inequívoca do alto nível do corpo docente da Faculdade e motivo de orgulho para os demais docentes e alunos desta instituição de ensino superior.

Projeto prevê psicólogos e assistentes sociais em escolas da Rede Estadual

Essa é uma excelente notícia para os alunos da Faculdade Santa Lúcia que estão matriculados nesses cursos

 

Uma excelente notícia para os alunos que cursam psicologia ou serviço social na Faculdade Santa Lúcia, de Mogi Mirim. É que essas profissões podem ganhar mais uma excelente opção de trabalho, caso a Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) aprove um projeto de lei do deputado Márcio Nakashima (PDT).

A matéria dispõe sobre a obrigatoriedade das escolas da rede estadual de ensino a contarem, em seus quadros profissionais, com os serviços de psicólogos, psicopedagogos e assistentes sociais para atendimento prioritário de alunos e profissionais da educação presentes nessas unidades educacionais.

Levando em consideração que o Estado de São Paulo possui mais de 5,4 mil unidades educacionais, centenas de postos de trabalho para os cargos previstos nesse projeto poderiam ser criados. Ao todo, a rede de ensino estadual paulista conta com mais de 240 mil professores e 3,8 milhões de alunos.

O texto da matéria prevê que todo profissional da educação que notar alunos vítimas de bullying, depressão, hiperatividade, comportamentos violentos e outras formas de distúrbios psicológicos, deverá encaminhá-los à coordenação de ensino da escola que, por sua vez, indicará o atendimento psicológico ou psicopedagógico na própria escola.

 

VIOLÊNCIA

O objetivo principal da matéria, na análise de Nakashima, será sempre o de sanar o problema antes que descambe para a violência e para que não haja prejuízo educacional ou no desenvolvimento social dos jovens. Outra meta é reduzir a violência contra os próprios professores, com uma melhor assistência psicopedagógica e psicológica junto aos alunos.

Ainda segundo o parlamentar, a ideia de criar o projeto surgiu após o massacre da escola estadual “Raul Brasil”, em Suzano, na Grande São Paulo, no último dia 13 de março, quando dois jovens mataram seis estudantes, dois funcionários da escola e depois cometeram suicídio.

O atendimento aos estudantes que apresentarem problemas será obrigatório e feito fora do horário do expediente escolar. As escolas destinarão um local adequado para as consultas.

 

APROVAM

Além do suporte psicológico e psicopedagógico, também haverá apoio da assistência social junto à família do aluno, quando for necessário, inclusive com a inclusão em programas sociais mantidos pelo Governo do Estado. Havendo falta de profissionais, cada equipe poderá atender a, no máximo, três escolas.

O diretor da Faculdade Santa Lúcia, professor e mestre José Marcos Zanella Pinto, vê com bons olhos esse projeto uma vez que, em sua avaliação, irá valorizar ainda mais os profissionais de psicologia e assistência social, cursos oferecidos por essa tradicional escola.

A mesma opinião é compartilhada pelo vice-diretor da faculdade, professor doutor Roberto Raphael Carrozzo Scardua, que destacou a ótima formação oferecida aos alunos desses cursos, graças a um excelente corpo docente da Faculdade Santa Lúcia

Professoras de psicologia apresentam trabalhos em evento de Sorocaba

Como já é tradição da Faculdade Santa Lúcia, que sempre procura participar de encontros, congressos e simpósios científico-culturais, essa instituição de ensino superior esteve presente em mais um evento promovido entre os dias 22 e 23 deste mês, na cidade de Sorocaba (SP).

 

Foi o IV Encontro Paulista de Psicologia Escolar e Educacional, promovido pela Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, com objetivo de trocar experiências e conhecer as pesquisas e trabalhos desenvolvidos por entidades universitárias na área da psicologia.

 

A Santa Lúcia esteve muito bem representada pela professora doutora Eduarda Leme, coordenadora do curso de psicologia. Ela apresentou estudos sobre trabalhos desenvolvidos na faculdade, como, por exemplo, “Uma experiência de acolhimento e apoio psicológicos a alunos de graduação”, sendo muito elogiada pelos presentes.

 

Sucesso semelhante obteve a também professora doutora Roselaine Bolognesi, que mostrou seu trabalho denominado “Orientação de trabalhos de conclusão de curso: relato de experiência”.  

 

Embora o curso de psicologia tenha começado apenas este ano, Eduarda e Roselaine comemoram o fato de já haver trabalhos a serem apresentados, o que comprova que o novo curso deve se destacar também na produção acadêmica e pesquisa, sempre envolvendo os alunos de graduação.

 

Volta as aulas: 11/02

Aulas retornam dia 11 de fevereiro.

Professores e alunos da Faculdade Santa Lúcia participam do Seminário Estadual para apresentação do Plano de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e de Proteção ao Trabalhador Adolescente

Professores e alunos da Faculdade Santa Lúcia participam do Seminário Estadual para apresentação do Plano de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e de Proteção ao Trabalhador Adolescente.

Simulado de tribunal do júri atrai mais de 180 alunos

SIMULADO DE TRIBUNAL DO JÚRI ATRAI MAIS DE 180 ALUNOS

Trazer o aluno o mais próximo possível da realidade, preparando-o para os futuros desafios da profissão. Foi com esse intuito que a Faculdade Santa Lúcia realizou, na tarde do último sábado (10), um júri simulado que aconteceu nas dependências da Câmara Municipal de Mogi Guaçu.

A simulação, que atraiu mais de 180 estudantes, foi tão realística que contou, inclusive, com o apoio da Guarda Civil Municipal, que escoltou o “réu” até o “tribunal”. O evento começou às 13h00 e simulou um julgamento de um crime de homicídio.

Segundo o professor e mestre Henrique Seixas, supervisor do estágio do curso de Direito da Faculdade Santa Lúcia, o objetivo principal desse simulado foi mostrar aos alunos  como é a atuação dos advogados, jurados, Ministério Público e do magistrado em um Tribunal do Júri.

O júri simulado contou ainda com a participação de três advogados de defesa, orientados e treinados pelo professor Ricardo Cordeiro, um promotor, um assistente de acusação, sob a supervisão da professora Judite de Oliveira, um juiz e, é claro, um júri composto por sete pessoas, todos alunos da Santa Lúcia.

Simulação no TJ

Durante algumas horas, defesa e acusação puderam apresentar suas teses e submetê-las à deliberação dos jurados.  “Essa simulação ajuda os alunos a melhorar a oralidade, além de mostrar a eles, na prática, como é um Tribunal do Júri”, elogiou Seixas.

O professor e mestre Dairson Mendes de Souza, coordenador do curso de Direito da faculdade também elogiou muito essa iniciativa, que já está na 4ª edição. Para 2019, Seixas e Mendes já preveem a realização de uma nova edição.

“Só que teremos que escolher um local maior, pois o sucesso foi tamanho que a Câmara guaçuana quase não comportou tantos estudantes”, lembrou Seixas. Ele revelou ainda que, também em 2019, haverá um evento parecido no TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo), com a simulação de um novo Tribunal do Júri, só que em 2ª instância.  Em tempo: na simulação de sábado, o réu foi condenado!

Palestra: Inteligência artificial e a 4ª revolução industrial: sua carreira dentro da máquina.

A Faculdade Santa Lúcia, convida os alunos e professores dos Cursos de  Engenharia de Produção, Engenharia de Computação e Sistemas de Informação,  a participarem da Palestra em homenagem aos profissionais destas áreas.

Data:  07 de novembro de 2018

Local: Faculdade Santa Lúcia – Sala 16

Endereço: Rua Dr. Ulhôa Cintra, 351 – Mogi Mirim/SP

Horário: 19h30min

 

PALESTRANTES:

Adriano Santos Lucas

Mestre em Engenharia da Computação (UFSCAR) e executivo de Tecnologias SAP na Embraer há quase uma década. É consultor de Negócios na MDL CONSULTING, presente nos EUA, Brasil e Chile.

 

Jeizon Ramos

Formado em Administração, pós em planejamento estratégico e executivo de Tecnologias SAP (módulo MM) há quase uma década na francesa NEXANS (líder mundial em seu segmento).  É consultor de Negócios na PlanASolutions, presente nos EUA e América Latina

Psicologia

O Curso

A palavra psicologia vem do grego psique (alma/espírito/mente) + logos (estudo). O cenário atual para a profissão de psicólogo é de transformação e ampliação de perspectivas. O curso de Psicologia da Faculdade Santa Lúcia busca participar da concretização de um novo projeto para a profissão – o do compromisso social.

A formação do psicólogo, pautada pelo compromisso social, permite uma ampliação da participação da psicologia na sociedade, um maior reconhecimento da profissão e o fortalecimento de seus campos de atuação.

A intervenção dos psicólogos nos sistemas institucionais permite prever os rumos do processo de construção da profissão atualmente.  Certamente sua participação será cada vez mais ampliada na sociedade brasileira ao consolidar ações de construção e atualização de referenciais teóricos e técnicos; qualificação da prática; inserção e instrumentalização profissional, firmando parcerias interinstitucionais em diferentes campos do fazer psicológico, tais como:

Modalidade: Bacharelado
Período: Noturno
Duração: 10 semestres

Área de atuação

  1. Atuação no Sistema Único de Assistência Social (SUAS);
  2. Atuação com crianças e adolescentes em situações de violação dos direitos humanos;
  3. Participação de psicólogos em conselhos tutelares e conselhos de defesa dos direitos da criança e do adolescente e em movimentos da sociedade civil;
  4. Qualificação dos psicólogos que atuam na educação;
  5. Contribuição da Psicologia da Educação na luta pela educação inclusiva;
  6. Participação dos psicólogos no controle social da educação;
  7. Atuação dos psicólogos em ações decorrentes de emergências e/ou desastres;
  8. Prática renovada na área da Psicologia Organizacional e do Trabalho, considerando as mudanças aceleradas no meio empresarial e na sociedade;
  9. Atuação na promoção da qualidade de vida e na humanização das relações de trabalho;
  10. Presença e contribuição dos psicólogos nas políticas públicas, criando e implementando ações de prevenção, educação, mobilidade urbana, cidadania, segurança, controle social da saúde, órgãos de controle, dentre outras;
  11. Atuação do psicólogo no sistema da justiça e segurança pública, elaborando referências para essa atuação;
  12. Atuação dos psicólogos nos processos de mediação;
  13. Atuação do psicólogo no Sistema Único de Saúde (SUS) e fortalecimento das residências multiprofissionais;
  14. Atuação do psicólogo na melhoria da qualidade de vida do ser humano, intervindo em hospitais; programas de saúde do trabalhador; seguridade social, dentre outras;
  15. Atuação do psicólogo em práticas psicoterápicas;
  16. Atuação do psicólogo no sistema prisional;
  17. Compromisso com os direitos sociais – psicologia e direitos humanos;
  18. Compromisso com os direitos sociais – democratização da comunicação, inclusão do idoso e pessoas com deficiência, diversidade sexual, questões de gênero, raça, dentre outras.

Desse modo, salienta-se a crescente inserção e atuação da psicologia na sociedade e a ampliação do mercado de trabalho para o psicólogo, não deixando de lado a consolidação das tradicionais áreas de atuação da profissão.

Em sua missão, sempre fiel aos princípios definidos pelas diretrizes curriculares, o curso pretende promover:

  1. construção e desenvolvimento do conhecimento científico em Psicologia;
  2. apreensão da amplitude do fenômeno psicológico em suas interfaces com os fenômenos biológicos e sociais;
  3. compreensão da complexidade e multideterminação do fenômeno psicológico;
  4. compreensão crítica dos fenômenos sociais, econômicos, culturais e políticos do País e do mundo;
  5. atuação em diferentes contextos tendo em vista a promoção da qualidade de vida dos indivíduos, grupos, organizações e comunidade; respeito à ética em todas as relações e aprimoramento contínuo.

O Curso de Psicologia acompanha o objetivo preconizado pela entidade mantenedora quanto à posição de excelência que pretende ocupar no cenário da educação superior brasileira.

Ao investir em um modelo de formação diferenciada pela qualidade, tem o curso como objetivo geral oferecer, à sociedade, profissionais preparados para gerar e gerir conhecimento, e para atender às demandas do mundo contemporâneo no que diz respeito:

  • ao multiculturalismo;
  • ao uso da tecnologia;
  • ao desenvolvimento de habilidades relativas ao trabalho;
  • à humanização da ciência e à sua aplicação consciente,

Formando psicólogos generalistas com visão abrangente e crítica da Psicologia e de sua realidade social. O que se tem como meta é formar profissionais hábeis e competentes capazes de atuar nos mais diversos segmentos da sociedade, sempre amparados pela ciência, pela ética e pelo compromisso social.

O profissional formado no Curso de Psicologia deve estar capacitado a agir de maneira crítica, reflexiva e ética nos mais variados campos de atuação. Utilizando os conhecimentos teóricos e técnicos adquiridos/construídos no decorrer do curso, deve dominar as teorias psicológicas e o conhecimento de áreas que embasem o desenvolvimento de novas tecnologias de intervenção social, pautadas na inserção social e na pesquisa.

O profissional deve contribuir para o desenvolvimento de seres humanos cidadãos, conscientes de sua inserção e responsabilidade social, através da compreensão e da problematização privilegiando novas formas de intervenção sobre as demandas populacionais.

Em suma, o profissional egresso da Faculdade terá:

  1. compromisso com a construção e o desenvolvimento do conhecimento científico em Psicologia;
  2. compreensão da especificidade dos fenômenos e processos psicológicos e dos múltiplos referenciais teóricos e epistemológicos;
  3. interlocução com campos de conhecimento para apreender a complexidade e a multideterminação do fenômeno psicológico, em suas interfaces com fenômenos sociais e biológicos;
  4. aptidão para atuar em diferentes contextos de inserção profissional, com postura crítica frente aos contextos macrossociais, tendo em vista a promoção dos direitos humanos e da qualidade de vida dos indivíduos, grupos, organizações e comunidades;
  5. compromisso com a ética no que diz respeito às relações com usuários, com colegas, com o público e na produção e divulgação de pesquisas, trabalhos e informações da área da Psicologia;
  6. atuação inter e multiprofissional sempre que a compreensão dos processos e fenômenos envolvidos assim o recomendar, relacionando-se com o outro de modo a propiciar o desenvolvimento de vínculos interpessoais requeridos na sua atuação profissional;
  7. compromisso com o aprimoramento e a capacitação contínuos, atento ao desenvolvimento da Psicologia enquanto ciência e profissão.

Em consonância com a Resolução nº 5, de 15 de março de 2011 e o Perfil Institucional da Faculdade Santa Lúcia, cuja ênfase recai no desenvolvimento de indivíduos capazes de solucionar problemas, tomar decisões e aprender a aprender, o curso de Graduação em Psicologia a ser ofertado pela IES almeja, ainda:

  1. preparar os acadêmicos para a vida, envolvendo-os na análise de seu contexto numa perspectiva global e crítica, contemplando as diversas dimensões em que ela se desenvolve;
  2. impulsionar a autonomia individual do discente, preparando-o para sua vida profissional, capacitando-o a solucionar/resolver conflitos/problemas e tomar decisões;
  3. orientar para a formação humanista, desenvolvendo a sensibilidade para as reais necessidades da sociedade e dos indivíduos;
  4. formar um profissional que estabeleça relações com seu ambiente, como cidadão e como profissional, no domínio do conhecimento dos fenômenos psicológicos;
  5. propiciar o desenvolvimento da sensibilidade necessária para que o egresso possa solucionar problemas sociais significativos, com competência técnico-científica para gerar soluções;
  6. habilitar o futuro profissional para interagir e produzir em perspectivas multidisciplinares, com o compromisso ético para melhoria das condições da vida humana;
  7. incorporar os conhecimentos às experiências práticas em quadros cada vez mais gerais e integrados.
  8. capacitá-lo para atender demandas de análise, avaliação e intervenção em processos psicológicos e psicossociais;
  9. preparar para que compreenda o campo dos fenômenos e processos psicológicos, considerado em sua pluralidade de objetos, métodos, teorias e técnicas, e de atuar profissionalmente na promoção do desenvolvimento e da saúde psíquica de pessoas, grupos, organizações, comunidades e coletividades;
  10. compromissar o egresso com o desenvolvimento da Psicologia como ciência e profissão.

 

Preparados para adquirir consciência de seu papel como cidadãos aptos para entender o mundo no qual vão operar e o sentido de sua ação profissional, os acadêmicos do Curso de Psicologia tornar-se-ão agentes de desenvolvimento social.

A Faculdade Santa Lúcia concebe todos os seus cursos em harmonia com os valores e princípios da Instituição garantindo, desta forma, coerência com a sua Missão, com os seus Objetivos, e com o princípio de contribuir efetivamente para os avanços da sociedade, através da formação de profissionais engajados e competentes.

Para ela, avaliar não é simplesmente atribuir notas visando medir a aquisição de conteúdos. O ato avaliativo visa oferecer elementos pedagógicos para que professores e alunos verifiquem os progressos e as carências na aquisição de habilidades e competências necessárias ao futuro profissional, para o exercício pleno e excelente das prerrogativas profissionais.

Trata-se, então, de superar o simples enfoque da nota, para identificar as estratégias necessárias ao aperfeiçoamento ou redirecionamento do processo de ensino-aprendizagem em cada etapa da formação, visando a plena realização dos seus objetivos, e o alcance do perfil profissiográfico proposto pelo Curso.

O sistema avaliativo requer como desempenho mínimo o conceito 5,0.

Coordenação

Profa. Dra. Maria Eduarda Silva Leme

Minicurrículo

Psicóloga graduada pela USP, mestre e doutora em Educação pela UNICAMP, especialista em psicologia clínica, tem especialização em deficiência visual e surdez pela Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. Investiga temas relacionados a deficiência, trabalho e reabilitação, na perspectiva histórico-cultural em Psicologia, e é ligada ao Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem, da Faculdade de Educação da UNICAMP. Atua na área de reabilitação e deficiência, tendo desenvolvido programa de atenção à pessoa com deficiência, e projeto de reabilitação psicossocial e elevação de escolaridade de trabalhadores afastados do trabalho, na Reabilitação Profissional do INSS Campinas. Atuou por anos na elaboração e coordenação técnica de projetos de reabilitação, inclusão escolar e laboral de pessoas com deficiência visual. Participa de trabalho interinstitucional voltado à inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho e realiza ações educativas sobre deficiência e trabalho junto à comunidade. É consultora sênior nas áreas de reabilitação profissional, e deficiência e trabalho. Autora do livro Deficiência e o mundo do trabalho: discursos e contradições, pela Editora Autores Associados, 2015.

Envie mensagem

Nome: *

E-mail: *

Cidade: *

Telefone:

Celular:

Assunto: *

Mensagem: *

Favor preencher todos os campos que estão marcados com *

Autorizado pela Portaria 768, de 29/10/2018. Publicado em 30/10/2018 D.O.U.

Santa Lúcia: Faculdade traz psicologia para Mogi Mirim

Os vestibulandos de Mogi Mirim e região tem um bom motivo para comemorar. A Faculdade Santa Lúcia confirmou, esta semana, a vinda do curso de psicologia já para 2019. Serão 100 vagas (noturno), divididas em 2 turmas com 50 alunos cada, com duração de 10 semestres.

O curso será coordenado pela mestra e doutora em educação pela Unicamp, Maria Eduarda Silva Leme, também formada em psicologia pela USP (Universidade de São Paulo) e que não esconde a satisfação com a novidade.

“É como trazer um filho ao mundo”, comparou, elogiando ainda o congraçamento entre professores, funcionários e direção da Santa Lúcia para garantir essa conquista.

Maria Eduarda revelou que os trabalhos de implantação do curso estão bastante adiantados, embasados, sobretudo, em um excelente projeto pedagógico, além de um corpo docente de primeiríssima qualidade, formado, na grande maioria, por doutores.

“Muitos, inclusive, vindo de faculdades públicas”, acrescentou.Ainda segundo a psicóloga, técnicos do MEC (Ministério da Educação) já estiveram na Santa Lúcia e aprovaram tanto o projeto pedagógico do curso como a estrutura física da faculdade, com a nota 4 (máximo é 5).

“Temos muito orgulho em poder oferecer esse curso aos jovens de Mogi Mirim e região”, disse. A coordenadora do curso explicou que, atualmente, a psicologia vai muito além da psicologia clínica, salientando que a profissão abre um enorme leque de oportunidades ao profissional da área, indo da indústria aos esportes de alto rendimento.

 

VERSATILIDADE

Especialistas citam, como exemplo dessa versatilidade, a psicologia organizacional e do trabalho, que seleciona funcionários para empresas. Há também a psicologia social, que trabalha junto às penitenciárias, asilos e centros de atendimento a crianças e adolescentes.

Já a psicologia do trânsito trata de problemas relacionados à área, realizando avaliação psicológica em condutorese desenvolver ações socioeducativas.

Existem também os psicólogos que atuam na área do comportamento, estudando osconsumidores para orientar o marketing de empresas.

Um ramo também muito valorizado é o de orientador profissional, que ajuda jovens na escolha de um curso ou da futura profissão.O psicólogo ainda é muito requisitado no acompanhamento terapêutico, neuropsicologia,  psicologia educacional, psicologia hospitalar e até a psicologia esportiva.

Esta última voltada à orientação e preparo emocional de atletas para atividades esportivas e competições.  No curso de Mogi Mirim, haverá ênfase nas áreas de Empresa & saúde do trabalhador, assistência social e clínica ampliada, que também abrange saúde pública.

Páginas:123456»